www.vitrola.net - 17.11.2010
Elizabeth Woolley

Por: Divulgação


Elizabeth Woolley nas ruas de São Paulo. Foto: Divulgação

"Infindável", o mais recente álbum da cantora,
mescla melodia leve e letras profundas

Canções de amor, manifesto e as misturas rítmicas presentes em "Infindável" caraterizam o segundo álbum da cantora e compositora Elizabeth Woolley. Nesse trabalho, recentemente lançado, Elizabeth conta com a participação de importantes nomes da música instrumental, como Cuca Teixeira (bateria), Márcio Arantes (contrabaixo), Lino Simão (sax alto), Walmir Gil (Tompete), Tiago Costa (piano), Webster Santos (violão), Pedro Simão (violão), Guilherme Ribeiro (acordeon), Sérgio Carvalho (contrabaixo) e Christian Galante (percussão).

O novo CD conta também com a participação de artistas como o Ator João Signorelli, e da Cantora Tina Woolley, que interpreta tão bem a música "Pequena Canção Amorosa", e ainda o DJ Rick Dub e a jornalista e radialista Renata Miranda em "O que Há o que Há".

"Infindável" foi gravado e mixado entre janeiro e junho de 2009. Com Arranjos produção e direção musical de Pedro Simão e Tiago Costa, em parceria com Elizabeth. O CD tem onze faixas, sendo nove composições de autoria da cantora em parceria com Atair Santos, e duas apenas dela ("Jasmim" e "Pequena Canção Amorosa").

Com fotos de capa bastante interessantes, onde traz um retrato do cotidiano de quem vive na metrópole, é importante observar no encarte do álbum as imagens retratadas pela fotógrafa Kris Knack a alternância de imagens como adicionar a bicicleta em meio a pressa e a ansiedade do caminhar dos pedestres. As expressões de preocupação contrastam com o passeio de bicicleta de Elizabeth no meio da tensão do centro de São Paulo. Essa descrição parece ser de um apreciador das artes visuais. Logo, é preciso usar dessa descrição para o leitor compreender como é preciso parar alguns minutos e ouvir bons sons e uma bela poesia.

"Infindável" tem algo muito especial. É um trabalho para ouvir sentado e em silêncio e, ao mesmo tempo convida, a dançar, como nas músicas “Poder e Fama" e "O que Há o que Há". As letras são profundas e não é apenas para ouvir e sair caminhando ou varrendo a casa. A poesia de Atair e Elizabeth é um convite para o aquietar-se e pensar. E, principalmente, relacionar-se com o mundo, vivendo aquilo que a vida nos tem pra dar de melhor.

Suas letras trazem questões sobre amor e vida na cidade, assuntos e características muito presentes no dia-a-dia de um habitante urbano. No repertório do CD é possível encontrar uma variedade de estilos musicais, como baladas simples, suaves canções, pop e até rap, com o acompanhamento instrumental sempre leve e interessante, principalmente onde se funde as letras profundas e as belas melodias criadas pela dupla Elizabeth e Atair.

© www.vitrola.net